faleconosco@tudoparamulher.net

Pedi demissão e agora? Parte I

Pedi demissão e agora? Parte I

Pedi demissão e agora? Parte I

1750 4

Definitivamente, hoje, me incluo em algumas estatísticas brasileiras. Não sou funcionária de emprego fixo, mas foi uma decisão completamente pensada e decidida por mim. Deixe-me explicar "do começo”… Em setembro desse ano, ao me ver em uma urgência médica, com pico de pressão alta, crise nervosa e de choro, além de descontrole em todos os sentidos, decidi ouvi a minha voz interior e comecei a pensar na resposta a uma pergunta feita pela minha terapeuta: "qual o propósito da sua alma?".

Como há muito tempo não fazia, prestei atenção no meu eu interior e disse, em voz alta,"não quero mais sentir essa sensação, é a hora de parar”. Hoje, ao ver foto do tal dia no rolo da câmera do meu celular, me dá uma certa angústia misturada com uma dosagem de orgulho de mim mesma. Escutei o que o meu corpo e a minha alma pediam. 

Em julho, após algumas dores de cabeça muito fortes, fui fazer exames. Foi constatado que eu estava com hipertensão (picos de pressão alta em muitos horários do dia e na hora de dormir). Ao fazer check-up, percebi também que estava com as taxas de colesterol altas. Para completar, os meus hormônios estavam completamente doidos. Resultado: atualmente tomo quatro remédios contínuos diariamente.

Logo após a noite na urgência, comentei com os meus parceiros de núcleo de marketing da empresa na qual atuava sobre a decisão tomada. Falei ainda que, na primeira oportunidade, eu pediria o meu desligamento e cuidaria de mim, faria as coisas no meu tempo. Disse que avisaria aos meus superiores e assim fiz. Na primeira oportunidade, abri o meu coração de modo sincero e disse que estava solicitando o meu afastamento, pois, no momento, eu precisava não sentir o que sentia, não queria ter aquelas dores que nem pareciam minhas, aquele tremor e frio constantes, uma insegurança maximizada, apagões de memória... (sensações muito esquisitas). Chorei muito, tivemos boas conversas e, finalmente, entramos em um acordo (sou grata demais pelo aprendizado dos últimos meses). Após seguir todo o processo de alinhar as minhas demandas, verificar quem ocuparia a minha vaga, fazer a passagem das ações, dei por encerrado mais um ciclo da minha vida.

Óbvio que, à medida que as pessoas ficaram sabendo, fizeram perguntas como, "e você vai ficar sem fazer nada?", "num momento como esse você está indo de encontro à crise atual", "vai para algo melhor?", "não se larga um barco dessa maneira, quem em sã consciência faz isso?"... O mais "dá hora" de ouvir tudo isso é saber que não interessa a opinião alheia, pois, da minha vida, dos meus sentimentos e das minhas vivências, quem sabe sou eu. Nem as pessoas que convivem mais de perto sabem ao certo o que passa na minha cabeça e em meu corpo, então… (pode parecer uma frase rude, mas entendam como uma expressão de quem sabe exatamente o que quer).

Nesse processo, ainda bem que as contas da casa já vinham sendo alinhadas. Sou casada há dois anos, sem apegos e luxo. Nessa decisão, tive a compreensão do meu marido, pais, irmã, cunhado e amigos... Para quem eu tive a oportunidade falei do meu momento atual e, claro, sobre os meus planos. Hoje, uma semana após eu ter assinado toda aquela papelada, sigo tranquila e cheia de metas, como sempre! 

Quem me conhece sabe que sou "designer apaixonada gráfica", que sempre, mesmo com empregos fixos, mantive os meus jobs, meus freelas, meu voluntariado, paralelamente, porém, percebi que, nos últimos meses, não estava fazendo nada disso. Mantive UM contrato paralelo, no qual permaneço atualmente. Os demais eu pedi para sair, pois não aguentava. Juro, não aguentava… frown

Em meio a esse processo, parece que o universo foi brother e me mandou alguns projetos incríveis, que fizeram o meu coração tremer (falarei sobre eles aqui, posteriormente). Então, eis que me pergunto "pedi demissão e agora, o que será escrito nos meus próximos capítulos?". laughAhahahah, contarei no próximo post (em construção literalmente).

Você já passou por uma situação parecida?? Vamos trocar ideia!
 

Publicações Relacionadas

Pedi demissão e agora? Parte II

Quem trabalha em casa precisa de disciplina para que as atividades rotineiras aconteçam.

O poder do pé na bunda

Ele pode te empurrar para frente ou te fazer cair de cara no chão, depende da forma que você encará-lo.

Corrida: o esporte-terapia

Tem muita gente encontrando, na prática, a solução para o stress, a ansiedade, a insônia e vários outros incômodos

4 Comentários
  • imagem usuário ou primeira letra

    Minha admiração pela sua história, pela sua coragem e pela sua sabedoria!

  • imagem usuário ou primeira letra

    Apoio e apoiarei em qualquer decisão que precisar tomar. Realmente dinheiro nunca foi e nunca será tudo...felicidade e paz em primeiro lugar sempre. BELO exemplo, te amo sis :*

  • imagem usuário ou primeira letra

    Estou passando por algo muito parecido, esse ano de 2016 foi exatamente isso pra mim, deixar pra trás tudo que não me fazia bem, roubava minha saúde e paz! Confesso que na minha experiência, recomeçar não tem sido nada fácil, preciso diariamente buscar nas minhas próprias motivações a criatividade necessária pra seguir e prosseguir. Que bom ver que outras pessoas também escolheram a felicidade e a realização! Te admiro Fabi!! Beijo Ma!

  • imagem usuário ou primeira letra

    Gratidão pelos comentários. Como comento, algumas decisões são baseadas nas nossas prioridades...tem sido um temendo aprendizado. Beijos.

ENVIAR UM COMENTÁRIO

PORQUE MEU COMENTÁRIO NÃO APARECEU?

Os comentários do portal são moderados, então podem demorar um pouco a serem autorizados. Comentários ofensivos não são publicados.