faleconosco@tudoparamulher.net

Violência psicológica: você pode ser vítima sem saber

Violência psicológica: você pode ser vítima sem saber

Violência psicológica: você pode ser vítima sem saber

291 0

Apesar de não deixar marcas físicas evidentes, a violência psicológica é uma grave violação dos direitos das mulheres, que produz reflexos diretos na sua saúde mental e física. É considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a forma mais presente de agressão intrafamiliar à mulher. Para piorar, a violência psicológica nunca é relatada.

“A física e sexual, embora muitas mulheres não denunciem, outras o fazem. Enquanto a [violência] psicológica, às vezes, a mulher nem percebe, são as micro violências cotidianas: “Você é feia, burra, tem o peito caído, está gorda, não entende nada, você é incapaz, não presta para nada”. Esse tipo de violência, que é sutil, vai minando a autoestima das pessoas o tempo inteiro”, analisa a médica baiana Maria José Araújo, especialista em saúde mental feminina, em entrevista a Débora Fogliatto para o Sul21, publicada no geledes.org.br.  

De acordo com a médica, um dos principais segredos para o combate a essa violência é a autoestima. “Toda mulher que sofre violência tem muito baixa autoestima, ou porque sofre violência há muito tempo, ou porque a mãe já sofria violência e cresceu vendo aquilo. É real a violência, tanto é real que está categorizada na lei Maria da Penha, mas as mulheres, às vezes, nem percebem que estão sofrendo com essa violência que não deixa marca física, mas deixa marca emocional”, explica a especialista ao acrescentar, “quanto mais as mulheres têm autoestima, são menos discriminadas, se valem por elas mesmas”, afirma Maria José. 

Como identificar?
A OMS entende violência psicológica como “qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação”. Assim, a violência psicológica acontece quando ele...

- quer determinar o jeito como você se veste, pensa, come ou se expressa.
- critica qualquer coisa que você faça; tudo passa a ser ruim ou errado.
- desqualifica as suas relações afetivas: amigos ou família "não prestam".
- a xinga de "vadia", "imprestável", "retardada", "vagabunda"...
- a expõe a situações humilhantes em público.
- critica o seu corpo de forma ofensiva e considera como uma “brincadeira”.
...entre outras formas de violência que são subjetivas e que, muitas vezes, passam despercebidas no dia a dia.

 

Fonte: http://bit.ly/2dTlRJc e brasilpost.com.br
Fotos: liberdadeojornal.com.br, brasilpost.com.br


 

Publicações Relacionadas

Medo, você não leva a nada

É preciso ter paz para seguir em paz, mesmo em meio à guerra.

Violência: machismo x feminismo no caso BBB

Diferença entre o machismo e o feminismo.

Corrida: o esporte-terapia

Tem muita gente encontrando, na prática, a solução para o stress, a ansiedade, a insônia e vários outros incômodos

Seja o primeiro a comentar

ENVIAR UM COMENTÁRIO

PORQUE MEU COMENTÁRIO NÃO APARECEU?

Os comentários do portal são moderados, então podem demorar um pouco a serem autorizados. Comentários ofensivos não são publicados.